Good Times Are So Hard To Find

The threat of good times becoming extinct is very real. We are never feeling or showing contentment. Is this a problem of this era or have we always been like this?

Excessive consumption. We constantly demand more and more. Not only material elements, but we also wish to feel each time better, exceptional. Aiming at a point we cannot reach. Trying to be a super hero. We need reducing our dissatisfaction by cutting down on attempting to be invariably superior.

Many a day have I remembered that I am only human. And it makes me feel finer. When I accept my human condition I can easily accept my failures and faults. 

“Have you got the time to share
Have you taken proper care
Of your body, anybody?
No one seems to see the signs
They reject them every time
Cause the good times are so hard to find.” (Good times are so hard to find – Blue Cheer)

Have you got the time to share your acceptable moments with someone you enjoy? Have you taken proper care of your body? We reject us every time and that is why good times are so hard to find. We put our ambition so high that it is almost impossible to achieve it.

“Realize deeply that the present moment is all you have. Make the NOW the primary focus of your life.” This is a basic rule to let good times happen. And always remember: it depends on you – to have good times – ever.

 

Advertisements

Nothing’s consistent here

Life is a flow. I turned out to be cheerful about that.

“Time is an illusion.” Said Albert Einstein. Why do we still get so upset about the passing time? Getting old is that serious matter? What really matters on this material world?

Nothing will stay as it is. Comprehend. How can I be sure in a world that is constantly changing? We will never be.

We’re wiser when we just accept. We were to have been happier if we had understood it from the beginning. The future seem from the past would scary me to death. Living is all about struggling but never staying down.

The depletion of our conscience happens when we are so absorbed to this material world that we cannot live anymore. We lose our feelings in order to establish a sick mental pattern inside our mind. How far can we go feeding these insane thoughts? We would never break the material barrier.

The threat of certain thoughts killing us is very real. We define who we are and what we feel by what we assume. Out thoughts shape our reality. Get yourself free from these ailing and confined thinking. Just let life be. Today is not harder than last year. You are stronger than yesterday, more probe to succeed today.

Life is a flow and nothing is consistent here. Life is a flow and relativity is our rule. Living is all about now and nothing to do with regrets and atrocious feelings. Thinking too much may take you down. Getting rid of our debilitated thoughts is our daunting challenge. Conquering that is our glory.

48659ae1c929be019726cb1d12ae232d

Pensar é necessário mas pensar demais é doentio

O prazer de acordar todas as manhãs se esconde pela névoa que cobre o horizonte matutino.

O sentimento de saber onde está e que está no caminho certo parece uma utopia.

Viver parece um quebra cabeça faltando peças. Um labirinto sem saída nem sentido. Uma estrada interrompida, um lugar nenhum.

Pensar sobre a vida pela primeira vez é isso. Encontrar-se perdido e sem um caminho pré traçado a caminhar. É se ver sem mapas nem GPS em alto mar. É velejar ao sabor do vento. Pensar sobre a vida dói. É um sentimento de vazio que nos acoberta, dúvidas por todos os lados, muitos temores e incertezas. A mente nos leva a caminhos inseguros e somos tomados por tantas incertezas. Assim, nossa mente alimenta nosso medo e nossa ansiedade.

Olhamos para as pessoas de fé e pulso firme; elas parecem saber para onde vão, será? Ou será que vão apenas em vão? Não sabemos o que se passa na cabeça delas.

Viver a vida sem refletir nos parece, a princípio, a fórmula para a felicidade. Apenas vivemos sem nos preocuparmos com muita coisa. Mas aí paramos para pensar e logo vem o pesadelo e os medos: caem sobre nós todas as incertezas da vida. Como era boa a vida quando eu era tola!

Quando eu era tola eu não parava pra pensar na magnitude do universo. Não me questionava quem sou eu e o que faço aqui. Viver os prazeres é todo o que importa a um tolo. Que saudade eu tenho de ser assim, alienada.

Mas agora eu me questiono tudo e nada faz sentido. E ai eu me pergunto: será que o feliz na verdade é um tolo que com qualquer coisa se satisfaz? Os sábios dizem que devemos nos contentar com pouco, que devemos viver a intensidade do momento; nos dizem que é preciso escutar lá dentro aquela inspiração que nos fala mansamente. A verdadeira felicidade advém dos momentos, dos nossos pensamentos. A verdadeira felicidade está em viver cada momento, sem deixar que nossa mente roube nossa essência.

Acho que dá pra ser feliz e se questionar sobre a vida sim. Porque na verdade a felicidade do tolo é passageira. É só naquele momento, mas depois as questões da vida aparecem, e ai? Não da pra ser bobo a vida toda. O questionamento é tão importante, pensar sobre a vida pode doer; nossas perguntas podem parecer malucas demais, as vezes passa coisa por nossas cabeças que era melhor deixar pra lá. Será?

Quem de manhã compreendeu os ensinamentos da sabedoria, à noite pode morrer contente. – Confúcio

Não adianta. Um dia teremos que nos questionar. Precisamos buscar a sabedoria. É preciso encarar de frente nossos questionamentos. Mas também precisamos admitir que nossa mente não é capaz de entender a maioria das nossas perguntas.

É preciso que o discípulo da sabedoria tenha o coração grande e corajoso. O fardo é pesado e a viagem longa. – Confúcio

A verdade é que o conhecimento é doloroso.

Pensar atentamente sobre os detalhes da vida.

Pensar. Pensar sobre tudo.

E então, deixar de pensar. Para enfim obter respostas que minha mente não pode me dar.

Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela. – Albert Einstein

Depois de muito pensar, percebi que a maior arte é deixar de pensar para viver.

Penso, logo existo. Deixo de pensar, logo vivo.

Ás vezes eu penso para constatar que eu existo, mas ultimamente tenho dado valor a viver.

Não que eu tenha desprezado o pensar. O olhar crítico sobre tudo nos faz viver melhor. Mas pensar demais pode nos levar a um abismo. Quando eu sei o que penso e me direciono eu comando minha mente. Quando penso, penso demais e as coisas saem do meu controle a mente me usa e eu deixo de viver. Eu vivo quando estou no controle. Quando minha mente controla, tudo fica sem graça e parece sem sentido. É preciso pensar. Mas pensar conscientemente, estando no controle. E nas horas certas. Há momentos que a fluidez da vida não é um pensamento, mas um momento. Precisamos pensar, mas não podemos nos afogar em nossos pensamentos, muitas vezes neuróticos e sem controle.

Sua FELICIDADE merece prioridade

“Talvez a pedra mais preciosa, que devemos colocar em nossa jarra em primeiro lugar, seja a felicidade interior. Quando não temos felicidade dentro de nós, não temos felicidade para dar aos outros. Então por que tantos de nós não damos prioridade à felicidade, deixando-a sempre para o final? Ou mesmo para depois do final. ” (do livro Antes que o dia acabe, seja feliz! – Ajahn Brahm)

Por que colocamos nossa felicidade tão distante de nós? Por que abrimos mão dela tão frequentemente? Deixamos a felicidade de lado quando pensamos só em trabalho e resultados materiais.

É a famosa história do garoto que, ainda adolescente, deixou de sair com os amigos e jogar futebol para estudar para os exames escolares. Depois, entrou na faculdade e passou a ter que se empenhar ainda mais nos estudos, e menos em seu prazer. Quando se formou disse que apenas seria feliz quando tivesse dinheiro para comprar o carro que queria. Quando comprou o carro ainda não podia ser feliz, pois precisava comprar a casa, e assim foi indo… Disse que só seria feliz quando se aposentasse. Ele morreu sem ter experimentado a felicidade.

Para as pessoas que só serão felizes quando conseguirem algo, a felicidade nunca chegará, ela sempre será um sonho no futuro, fora de alcance. Os desejos podem não ter fim, contentamento é o único momento em que você tem o suficiente.

Liberte-se da eterna necessidade que os desejos lhe impõem. A felicidade é algo que está no presente, em viver o momento aqui e agora e nada além disso. É preciso aceitar a vida como ela é. Sem ficar criando condições para a felicidade. “Quando eu tiver um bom emprego.” “Quando eu estiver morando em Londres.” “Quando eu conhecer a pessoa ideal”. A felicidade está a seu alcance. O mundo quer nos ver insatisfeitos, porque a insatisfação traz muitos lucros para as empresas. Querem nos vender autoestima e uma aparente felicidade. Mas a verdadeira felicidade jamais poderá ser comprada. A felicidade é um estado de espírito que deve ser conquistado. 

“A nossa felicidade depende mais do que temos nas nossas cabeças, do que nos nossos bolsos.” Arthur Schopenhauer

Ajude sem esperar nada em troca

“Com todas as ações ou doações que visam alguma forma de retribuição, o que se ganha é uma sorte ou recompensa limitada, ou seja, um dia expira. Com as atitudes de não-ação, sem apego ou doação sem visar alguma forma de retorno, o que se ganha é uma sorte ou recompensa ilimitada ou incalculável.” (Trecho do livro: “O Sutra do Diamante e O Sutra do Carma, psicografado por Fofo-Sutsun)

Temos a tendência a pensar assim: “vou fazer uma festa e chamar os amigos, pois quando eles fizerem também vão me chamar.” ou “vou ajudar aquele parente que está em dificuldade, para que, assim, quando eu estiver necessitado, ele me ajude.” Mas calma. O amor verdadeiro, o amor cristão não é despretensioso? O amor deve ser capaz de auxiliar sem esperar nada em troca. Nada mesmo. Pura doação.

A generosidade não depende da gratidão do próximo. O coração generoso doa mas não espera nem mesmo um “muito obrigado”. Chega de lamentação porque o outro não te agradeceu ou te tratou mal mesmo depois de você ter ajudado. A verdadeira generosidade é gratuita. O amor verdadeiro deve ser gratuito e desprendido. Doe como se estivesse doando a Deus, seja seu tempo, seu dinheiro ou suas palavras.

Parece tão natural de nós esperarmos algo em troca sempre. Saiba: a gratuidade é a marca do coração de quem serve a Deus. Se damos com generosidade nada precisamos em troca, afinal, já temos tudo: o amor. Difícil praticar esse conceito? Pois é, por isso estamos nessa vida material, para aprender e aperfeiçoar o espírito ainda teimoso que somos.

O QUE ACONTECE APÓS A MORTE?

Há uma questão recorrente na vida dos seres humanos: o que há após a morte? Muitos acreditam que os espíritos estão em contínuo contato conosco e já escreveram inúmeras obras sobre o pós morte. Outros acreditam que adormeceremos até o dia do Juízo Final. Há também aqueles que acreditam que a morte encerra a vida, portanto, não há nada depois.

Desde tempos remotos tentamos decifrar esse enigma, queremos saber o que realmente acontece. Cada povo construiu suas próprias crenças e ritos funerários. Cada um , à sua maneira, tenta encontrar sua própria compreensão do Universo. Atualmente, é fácil perceber que nos submetemos facilmente à construção materialista da realidade: ficamos cada vez mais distantes de nossa dimensão cósmica, cada vez mais duvidamos de nossa dimensão espiritual. Essa tendência materialista nos distancia de nossa essência e assim só iremos percebê-la quando já não estivermos tão inebriados pela matéria, ou seja, quando partimos dela.

O momento do desencarne é justamente esse: depara-se com a verdadeira vida, com o lado espiritual. Pode ser um choque, pode ser uma libertação. O grau de sofrimento dependerá da consciência do espírito. Pense que naquele momento nada mais que aqui foi construído importará. Ninguém levará poder, status, nem dinheiro. Depois do jogo, a dama e o peão voltarão à mesma caixa. E aí? Será que estamos todos preparados a abrir mão de tudo e viver só aquilo que é invisível aos olhos?

Saber de nosso lado espiritual é essencial. Mas pensar obsessivamente na morte é doentio. Devemos nos importar mais com nossa vida aqui e agora. É mais importante nos concentrarmos na nossa realidade momentânea, mas sempre visando nossa dimensão espiritual. Ir vivendo no mundo sem ser completamente do mundo.

Aos que interessam em aprofundar no assunto sugiro essa página: http://www.spiritualresearchfoundation.org/portuguese/vida-apos-a-morte